Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

matriz2006

matriz2006

19
Mar08

Ao meu Pai

 

 

 

 

 

 

 

 

Ao meu Pai

 

Jamais esquecerei o pai que, um dia,
Ao olhar-me nos olhos, me beijava.
Era tanto o amor que ele sentia,
Esse pai, que os filhos idolatrava!
 
Mas eis que chega um dia e, de repente,
Ele partiu, e eu tremi de medo!
O dia escureceu, e a alma sente,
Como um condenado o seu degredo!
 
Deixaste-nos! Partiste tão depressa!
A toda a hora é a saudade que regressa,
Porque de ti jamais me vou esquecer!
 
Deixaste órfãos aquelas criancinhas,
Sem a tua presença, pobrezinhas!
Mas serás lembrado enquanto eu viver!
 
Albina Dias