Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

matriz2006

matriz2006

24
Fev08

“Pequenos prazeres, grandes recompensas”

 

“Pequenos prazeres, grandes recompensas”


Satisfaça a alma primeiro!
A Alma é simples e fonte de todo o contentamento.
Enquanto você procura uma roupa de grife, e chora por não tê-la em seu guarda roupa, a alma se contenta em te ver com uma roupa limpa, bem passada, pois sabe que o corpo vale mais que a vestimenta.
Enquanto você sonha com uma pessoa além do natural, desenha na mente uma pessoa encantada, e chora a solidão do desencontro, a alma se contenta com uma pessoa como você, com defeitos e qualidades, de carne e osso, que possa falar o que você precisa ouvir, e silenciar quando quer desabafar.
Enquanto você sonha com aquele super emprego ou cargo público e chora por não passar no concurso ou na seleção, a alma se sente bem em qualquer  trabalho honesto que possa te sustentar, que possa trazer alívio para as despesas que não param. A alma não se aflige por tão pouco…
Enquanto você sonha com o amor que não deu certo, e chora o abandono do que nunca existiu, a alma se contenta com essa pessoa que já convive com você, que faz de tudo para te ver feliz e que você ainda não aprendeu a valorizar. Talvez você ainda só saiba o valor do que se perde, pois a alma valoriza o que conquistamos.
Enquanto você se perde em sonhos mirabolantes de riquezas e espera pelo prêmio milionário da Loteria, a alma se contenta com o pouco abençoado pelo suor do seu trabalho e se alegra com o que você pode repartir. A alma é sempre generosa.
Enquanto você espera, a alma idealiza,
enquanto você luta, a alma incentiva,
enquanto você cai, a alma ampara,
e quando você desiste, a alma chora,
lamenta a ilusão que cega os teus olhos.
Durante a noite, quando dormimos e morremos para a vida,
ela se ergue em liberdade e mostra onde podemos chegar.
Mas, por pura tolice e medo de nós mesmos,
achamos que tudo não passou de um sonho,
e voltamos para a aflição do dia que poderia ser muito melhor,
porque nos afligimos com o que não temos,
queremos o que não nos pertence,
lutamos pelo que não quer mudar,
choramos pelos que não reparam nas nossas lágrimas,
e escondemos nossos desejos mais simples,
em troca de uma ilusão do mundo.
Qual é a meta da sua alma?
Pergunte-se.
Encare-se.
Encontre-se.
Pois a alma é simples e quando está satisfeita transforma você em um ser especial, invencível e admirado por ser simplesmente você!
Preencha-se!

Paulo Roberto Gaefke