Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

matriz2006

matriz2006

18
Out12

--



E a chuva continua caindo, corre

me mata a sede, enquanto ao longe

as flores choram sem sede! Os campos escoam enquanto nas vidraças sem pressa me fazem olhar...

Das searas já fartas o latir do cão,

dos seres abandonados pelo homem ladrão!

Mas a chuva cai e a liberdade espreita o regadio já farto do prometer tardio!

A fonte da nascente onde a corrente bate leve levemente, cedeu e correu como sempre por isso mesmo que sintas essa vontade de gritar mas que te fazem calar, não cedas, faz como a chuva que não para de cair...

São Percheiro

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.