Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

matriz2006

matriz2006

15
Nov07

Proteja a sua Luz

 

 

?APAGA OU ACENDE??

Silvia Schmidt

Felizes aqueles que se deixaram cair em boas mãos!
Esse "deixar" demonstra que somos responsáveis pela nossa Luz. Se nós não permitirmos, ninguém poderá apagá-la, assim como também ninguém poderá acendê-la, e tudo depende de
quem somos
nós para nós mesmos e do quanto nos valorizamos.

Aqui o casamento foi só um exemplo, já que a mesma coisa pode ocorrer em outras variadas formas de relacionamento: amigos, filhos, irmãos, pais, parentes, vizinhos, chefes, etc.

Se a sua Luz não está brilhando, procure lembrar-se de quando ela começou a se apagar. Quem entrou na sua vida nesse tempo?

A quem você deu licença para
obscurecer o seu espaço interior outrora luminoso?

Isso também vale para o seu lado exterior:
como está sua aparência física e sua saúde?

Lembre-se dos que já entraram, dos que já saíram e principalmente do que você fará com futuras "entradas".

Não permita que alguém possa estragar uma vida que é só sua, porque ninguém morrerá em seu lugar.

Cuide bem da sua Estrela.

Proteja a Sua Luz!




Há pessoas que entram em nossas vidas rumo à nossa estrela. É muito importante que observemos as mudanças que ocorrem depois dessas entradas.
Quanto mais estreito é o nosso laço com elas, mais evidentes ficam as mudanças.

O casamento é, entre outras coisas, um exemplo bem claro disso. Homens e mulheres que, quando ainda solteiros, tinham um brilho e uma aparência
muito marcantes, de repente, após o casamento, se apagaram, perderam aquele toque carismático e sedutor.
Ficaram desleixados, opacos, olhos voltados para o chão como se não quisessem ver um futuro
nem um pouco promissor.

Mas também pode ocorrer o exatamente oposto:
há pessoas que ganham mais vida, mais realce, sucesso e muitas conquistas depois do casamento.
É uma questão de "quem veio para realçar
ou fazer baixar o brilho da estrela do outro".
Isso não é proposital, mas acontece aos montes.

Quanto mais deixamos que outras pessoas nos "apaguem", mais ficamos nas mãos delas e vice-versa.