Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

matriz2006

matriz2006

17
Out07

Padre Fonte

 

Vou pedir perdão à Sílvia e ao mesmo tempo agradecer-lhe este texto, que vou usar na integra e que ela publicou no seu blog http://aosqueamo.blogspot.com/. O texto traduz tudo aquilo que nós, que eu,  penso sobre o assunto Padre Fonte e esta doença estúpida que o apoquenta. Alguns sentimentos eu não transportaria para o papel de maneira muito diferente da dela, assim sendo, copiei o seu texto integral  e daqui por uns dias, quando não estiver tão perturbada, eu própria farei outro dedicado a este assunto.

 

 

 

Porquê que acontecem coisas más ás pessoas boas? Quando há tanta gente que não merece sequer o ar que respira...
Este pensamento ocorre-me vezes sem conta. Faço esta pergunta constantemente, mesmo sabendo que jamais haverá uma resposta.
O destino consegue ser cruel e não há nada que o detenha. Para o bem e para o mal.

O meu pensamento está com o Padre Fonte que enfrenta um grave problema de saúde.

Se a cura dependesse da força das pessoas que, neste momento, estão a torcer por ele, então já estaria de regresso a casa, totalmente recuperado.

Por ser uma pessoa tão simples e bondosa, fica difícil falar sobre ele. Quem tem o privilégio de conviver com o Padre Fonte, mesmo que por breves momentos, leva-o no coração. É doce no falar. As palavras dele entram-nos nos ouvidos e não saem. Tem um olhar tão generoso e um sorriso tão cativante que não temos dúvidas de estarmos perante um ser humano especial.

Quando andava nos escuteiros e ia à missa ao Domingo, aguardava com ansiedade o momento de o Padre entrar na igreja, só para ver se era o Padre Fonte a celebrar a eucaristia. Gostava de o ouvir falar. Achava que tudo o que ele dizia fazia sentido e vinha do fundo do coração. Muitas vezes, fazia chorar, mas também sabia fazer rir, quando por exemplo a meio do seu discurso, a contar um ou outro episódio, proferia um palavrão – acho que os mais jovens nesse preciso momento pensavam “Ops, afinal os senhores Padres são pessoas como nós. Até dizem palavrões!”. :)

O Padre Fonte, esteve presente nos importantes momentos da minha Família – casamentos, baptizados, Bodas de Prata mas também nos mais dolorosos.
A última vez que estive a sós com ele, foi no dia do funeral do meu primo Tony. Dirigi-me à sacristia para que me autorizasse a ler uma mensagem em nome de todos os primos. Durante alguns segundos ficou em silêncio, cabisbaixo. Depois, levantou a cabeça, olhou-me nos olhos e perguntou-me “Vais ser capaz?.........” . Não contive as lágrimas e respondi-lhe apenas “É a nossa ultima oportunidade. Tenho que ser capaz”.

Agora ao pensar em tudo isto, constato que ele marcou alguns períodos da minha existência.

Quando somos assustados com más notícias e com a possibilidade de perdermos alguém, relembramos todos os momentos que tivemos com essa pessoa.

Eu guardo com muito carinho todas as ocasiões que tive com o Padre Fonte.

Que saudades do jantar em casa do Chefe Armando, no Domingo de Páscoa......

Espero sinceramente que Deus não falhe com este homem que lhe dedicou toda a sua vida. Seguramente, nós precisamos mais dele aqui na Terra.

Provavelmente esta mensagem não chegará ás suas mãos. Mas fica aqui o meu louvor e os mais sinceros desejos de rápidas melhoras!

Em meu nome e em nome da Família Quilôres!

---------------------

E aqui, eu limito-me a acrescentar. em meu nome, em nome da Associação da Matriz , rápidas melhoras,

Padre Fonte, Volte Depressa

Nós Precisamos de Si.

1 comentário

Comentar post